sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Eu, um subversivo


Na manhã de ontem, como tinha anunciado, participei de uma panfletagem no centro do Recife, distribuindo um texto que apresentava a opinião de lideranças católicas, protestantes e espíritas contra a prática do aborto, e, à luz de tais opiniões, pedindo aos eleitores um posicionamento  contrário ao PT e seus candidatos.

Cheguei cedo no centro. Deixei meu carro numa rua do bairro da Boa Vista e me pus a caminhar até o de Santo Antônio. No percurso, antes de atravessar a Ponte Velha, fui abordado por um homem que, ao ver minha camisa com a estampa "Aborto? Não!", gritou:

- Ele, Lula, tem mais o que pensar.

Sei... como se o Apedeuta pensasse...

Reação reveladora! Reveladora porque mostra que as pessoas associam, com automatismo, uma posição contrária ao horror abortista a uma posição refratária ao PT; revelador porque indica o claro incômodo que o tema provoca em certas almas.

Um pouco antes de chegar à igreja em cuja frente seriam distribuídos os panfletos, passei num outro templo católico, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares, para tomar um pouco d´água e ir ao banheiro; nele encontrei uma consócia de minha conferência vicentina, uma senhora com idade avançada mas cheia de energia, que vibrou com minha camisa e com o evendo do qual eu participaria logo mais. Ela fez um contraponto ao petista do outro lado do rio...

Bem, fui finalmente para a igreja de Santo Antônio. Lá chegando não encontrei ninguém, mas uma Missa ocorria e inferi que alguns dos participantes podiam estar nela. Esperei e acerte. Logo apareceram dois "companheiros de luta", um que é carismático e simpático aos Legionários de Cristo e outro que é tradicionalista e (espero) futuro seminarista da FSSPX. Conversamos um pouco. Apareceu mais um colega, só que logo ele teve de sair para buscar as caixas com os panfletos no Círculo Católico de Pernambuco. Outros foram se apresentando (carismáticos, tradicionalistas e neoconservadores).

Quando as caixas com o material chegaram, oramos, nos separamos em pequenos grupos e começamos a distribuir as publicações. Em geral a recepção das pessoas foi positiva, rapidamente minha resma de panfletos acabou. Passamos a entregar, por duplas, em ruas próximas ao "centro do centro do Recife"; vez ou outra alguém falava ou perguntava algo:

- Jesus não vai deixar ela ganhar.

- Também sou contra o aborto.

- Vocês são de Serra? (Resposta sincera: - Somos contra o aborto)

- Vocês são contra o aborto mesmo em caso de estupro ou risco de vida da mãe? (Resposta estratégica: - Isso pode ser discutido noutro momento momento, o que estamos tentando impedir aqui é que as possibilidades de se abortar sejam ampliadas)

- Minha irmá foi estuprado e fez aborto. O que você me diz disso? (Esse não quis ficar para ouvir a resposta)

Infelizmente, de repente, um de nossos amigos veio correndo avisar que três militantes do PT tinham abordado uma das duplas dizendo que aquilo era ilegal e que, por isso, iam informar ao TRE e à polícia.

Logo nos reunimos e um dos confrades, que também é advogado, ponderou que pelo fato dos impressos não estarem assinados, talvez os "arautos do PT" encontrassem substrato para fazer uma confusão.

Assim sendo, mudamos de tática. Recolhemos os panfletos para uma igreja próxima, abrimos quatro cartazes e passamos a rezar em plena rua o terço. Rapidamente reações diversas pipocaram. Uma hora era uma cara de espanto, outra hora um olhar de aprovação, uma hora era uma dedada, outra hora alguém que passava a falar contra a candidatura de Dilma. Foi interessante que algumas senhoras que, por acaso, rezam diariamente o rosário na intenção da derrota da abortista, se juntaram a nós. Terminamos cantando a Salve Regina

Mais um fatinho interessante antes de continuar: quando levamos as caixas para a outra igreja, a fim de protegermos os panfletos, duas senhoras que lá estavam, ao saberem da perseguição que se avizinhava, ficaram revoltadíssimas, passaram a lançar impropérios contra o PT  :) e levaram um bom número dos impressos para seus conhecidos.

Em seguida, adotamos uma estratégia de guerrilha: distribuir os panfletos andando pelas ruas do centro ou ficando apenas alguns minutos em pontos nevrálgicos, pois desse modo os dilmistas não poderiam dar uma localização precisa para a polícia. Com tal método, percorremos uma distância razoável, sempre topando com um ou outro petista aloprado e mal encarado que soltava gracinhas e, ao mesmo tempo, contando com ampla acolhida da maior parte das pessoas (algumas, é engraçado, ficavam com ar de bobas ao nos verem, como se pensassem "como eles têm coragem?"). Entreguei uma boa quantidade de impressos na Ponte Velha e no "vuco-vuco" em torno da Basílica da Penha e do Mercado de São José, sempre dizendo:

- Pela família, contra o aborto!

ou

- Pela família, contra o aborto, a lei de Deus em primeiro lugar!

Já próximo do meio-dia, queimado pelo sol (devia ter botado protetor solar) e extenuado pelo calor infernal, resolvi encerrar minha participação e caminhei de volta ao meu carro.

Assim que cheguei, recebi um telefonema de um amigo que ainda estava na panfletagem, contando que uma moça que nos ajudava foi cercada por uma malta de eleitores de Dilma e forçada a parar de distribuir os folhetos. Isso, somado a novas ameaças de acionamento da polícia, fez com que todos recolhessem o material. 

Não me fiz de rogado e, durante a tarde, resolvi andar por prédios próximos ao local onde preparo o projeto para o mestrado na UFPE com minha camisa contra o aborto. Resultado: olhares atônitos ou raivosos. Reação bem diferente da da massa popular no centro da cidade.

Me senti um verdadeiro subversivo no meio disso tudo. Tristes dias os nossos em que defender a vida inocente virou algo passível de perseguição!!! 

22 comentários:

  1. [...] e sereis odiados de todos por causa de meu nome. Mas nem um só cabelo de vossa cabeça se perderá. É pela perseverança que mantereis vossas vidas! (Lc 21,17-19).

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a todos que participaram desta aventura em prol da vida e da Lei de Deus.

    Ótima resenha, caro Thiago.

    ResponderExcluir
  3. Penso que estas eleições infelizmente já estão decididas e a candidata do aborto deve ser eleita. Contudo é possível que estes bravos esforços (como este que o Thiago nos narra)possa vir a se constituir nas sementes para um futuro no qual tenhamos uma consciência nacional cristã no Brasil, organizada, como meios claros de poder ofertar uma resistência aos ditames revolucionários.
    Nosso atual momento, sem qualquer consciência organizada, nos faz buscar o voto no mal menor para impedir(sem sucesso) a vitória dos vilões declarados.
    Talvez em um futuro próximo, nos seja possível ter uma frente genuinamente cristã para o combate que não vai cessar.

    ResponderExcluir
  4. O interessante é que Deus permite um mal para dele tirar um bem maior. Quando vocês recuaram dos petistas para proteger os panfletos de qualquer intervenção policial, o resultado foi um Terço em público, cujo efeito não se restringe ao âmbito político, mas tem eficácia espiritual: é meritório, é impetratório e é propiciatório!

    Dominus bonus est!

    ResponderExcluir
  5. Eu particularmente exulto de alegria pelas perseguições. Deus está do nosso lado Thiago, parabens a todos. Queríamos homens fortes, e eis que muitos tem se levantado pela graça de Deus, que sabe tirar de todo mal um grande bem. O Brasil pode não ouvi-LO, mas nunca mais será o mesmo. Espero que a vida ganhe sempre!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns Thiago. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
  7. Tiago, sempre leio esse blog e deixo aqui meu parabéns a você e a todos que participaram dessa iniciativa abençoada por Deus!!!

    Deus seja Louvado!!!

    ResponderExcluir
  8. Prezado Thiago! Salve Maria!

    Seu blog é muito bom!
    Incluí link do teu blog em meu blog: http://odefensorcatolico.blogspot.com/

    Nossa Senhora o ampare sempre!

    In Christo et Matre

    ResponderExcluir
  9. Muito obrigado a todos que incentivaram a nossa iniciativa. Temos de nos unir cada vez mais, pois mesmo que Serra ganhe o combate às investidas revolucionárias terá de ser quase imediato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora combater o aborto virou ato subversivo.

      Excluir
  10. Meus parabéns, Thiago. A abortista venceu, e AGORA MAIS DO QUE NUNCA, devemos INSISTIR nessas ações.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns Thiago, pelo exemplo de combate e de defesa dos princípios cristãos!

    Eu vejo que o brasileiro tem amadurecido na participação política, independentemente dos partidos.

    Essas eleições foram uma lição de que a ferramenta mais importante de conscientização foi a internet, que uniu as várias vozes do povo de Cristo no Brasil.

    E a sua manifestação foi um caso de Pedagogia Política. Serve para mostrar ao PT que ele não é dono do Brasil e que é preciso humilde daqui pra frente. E mostra ao povo de Cristo que é fácil se unir e que não estamos pedindo favor para expor nossas convicções.

    Eu vejo um novo ciclo na politica brasileira, em que a oposição vem do povo mesmo e não dos partidos. E de que as instituições públicas vão se deparar com o fenômeno "conservador", "ultra-direitista" e terão que se virar para entender esse fenômeno. E que, ao meu ver, citando hayek, é uma ordem espontânea.

    Na próxima manifestação me chama !

    Forte Abraço !

    ResponderExcluir
  12. Extremamente triste em ver o caminho que a igreja e muitos cristãos tomaram ao longo do gov. Lula.
    Vocês sabem que o Serra foi responsável pela norma técnica do aborto(http://ow.ly/32VCF), além de ter obrigado sua mulher a praticar o aborto? São vocês os futuros padres da igreja católica?

    Segue texto de Frei Beto..espero que leiam e reflitam um pouco:

    "Certa vez, relata o evangelista Mateus, indagaram de Jesus quem haveria de se salvar. Para surpresa dos que o interrogaram, ele não
    respondeu que seriam aqueles que vivem batendo no peito e proclamando o nome de Deus. Nem disse que seriam aqueles que vão à missa ou ao
    culto todos os domingos. Nem disse que seriam aqueles que se julgam donos da doutrina cristã e se arvoram em juízes de seus semelhantes.

    A resposta de Jesus surpreendeu-os: “Eu tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; estive enfermo e me visitastes;
    nu e me vestistes; oprimido, e me libertastes...” (Mateus 25, 31-46)

    Jesus se colocou no lugar dos mais pobres e frisou que a salvação está ao alcance de quem, por amor, busca saciar a fome dos miseráveis,
    não se omite diante das opressões, procura assegurar a todos uma vida digna e feliz.

    Isso o governo Lula tem feito, segundo opinião de 77% da população brasileira, como demonstram as pesquisas. Com certeza, Dilma, se eleita presidente, prosseguirá na mesma direção.

    ResponderExcluir
  13. A opinião da massa não é referencial para a verdade ou a virtude. Como eu disse noutra postagem, o general Médice também tinha altos índices de aprovação... e Jesus, cabe lembrar, foi preterido a um bandido pelo "povo". Portanto, esse argumento não é válido.

    Além disso, ninguém ignora que Serra não é um verdadeiro anti-abortista, mas ele e seu partido são menos que o PT e sua candidata. Nesta eleição, como em outras, tivemos de optar pelo mal menor.

    ResponderExcluir
  14. Na verdade, o sentido de subversivo inclue pressupostos do marxismo-leninismo, e nisso, os eleitores/militantes do PT são doutrinadores.
    Mas, gosto do que você escreve, e porventura concordo com quase tudo (senão tudo) o que faz e defende.
    E Aborto não faz controle de natalidade. Aborto não evita doenças. Aborto não resolve o problema de gravidez indesejada.

    É longo, mas acho que vai gostar:

    http://chrisologycode.blogspot.com/2010/11/nao-ao-aborto.html

    Obrigada por seu exemplo, por sua coragem, por sua proatividade, por seu carisma, e por ser quem é.
    É um privilégio e honra para mim conhecê-lo. :)

    ResponderExcluir
  15. Muito obrgado, Chris. Muito me honra sua visita e seu elogio. Li todo o artigo e o que é dito ali, sobre a vida intra-uterina, é pura verdade objetiva, mas, mesmo assim, temos uma estranha insistência dos abortistas em negar todos aqueles dados. Por que será que isso ocorre? Não consigo pensar em nada racional, é um verdadeiro "mistério da iniqüidade".

    ResponderExcluir
  16. Como diz em Salmos 119: “Para o perverso não há conversão”. :(

    É a triste, impotente e ilusória escolha de pessoas que acham que conseguem tudo na vida sem precisar de Deus.

    Orgulho intratável, pai de todos os outros vícios, crimes e desgraças da humanidade.

    ResponderExcluir
  17. Como disse o Papa antes das eleições:

    «Não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambigüidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo».

    ResponderExcluir
  18. Corajosa atitude em tempos de cólera... abraço

    ResponderExcluir
  19. cheguei no seu blog através da pesquisa sobre facismo e navegando por aqui..li esse relato. Fiquei intrigada com algumas coisas:
    - pq os folhetos não estavam assinados?
    (desculpe, mas isso me pareceu falta de coragem! acho importante que as pessoas saibam quem está lhes dirigindo uma msg)
    - o que poderia fazer a polícia caso fosse chamada? Eram folhetos eleitorais? Não é ilegal distribuir folhetos de uma causa.
    - a causa pró-aborto não é petista. Os fundadores do PDSB são todos universitários! Nos países de social-democracia o aborto é liberado.

    isso não é uma contradição?

    vera

    ResponderExcluir
  20. Os folhetos não estavam assinados pelo simples fato de que ninguém se preocupou com detalhes na impressão deles; foi uma mera falta de cuidado. Certamente nas próximas eleições, quando pretendemos levar o tema do assassinato de crianças ao debate novamente, eles estarão assinados ;)

    Não sei o que se poderia fazer caso a polícia fosse chamada, mas é ilegal distribuir folhetos anônimos (embora isso nunca tenha sido cobrado com rigor antes).

    A "causa" do aborto é petista. Todos os congressos do PT aprovaram essa abominação no seu programa. O detalhe é que essa "causa" não é só do PT, também é de outras agremiações políticas. Nenhum de nós estava iludido com o PSDB e muito menos fazendo campanha para ele de forma direta; o ponto é que entre algo mais abortista e algo menos abortista se deve optar pelo MAL menor, ou seja, pela segunda opção.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...