quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Welcome to my little world…

O confrade Pedro Ravazzano publicou no seu blog, Acarajé Conservador, um texto sobre o problema do sectarismo sociológico alimentado pela internet. A internet é um grande recurso que a resistência aos desmandos pós-conciliares descobriu, mas, às vezes, ela pode reforçar algumas más tendências. Leiam o que ele escreveu:

A internet tem se tornado na válvula de escape do idealismo romântico de muitos católicos inconformados. A constatação é muito clara; cada vez mais pessoas - em especial os jovens - aderem a uma postura social que tem como fundamento a agressividade e brutalidade diante do real. Esse fenômeno pode ser compreendido partindo até da dinâmica mimética girardiana de distinção e imitação, na construção de pequenos mundos livres dos erros das "massas" corrompidas.

O que me espanta é a crescente adesão de jovens em seus orkuts e blogues a essa mentalidade de seita - sociologicamente falando - e muito longe do conhecimento concreto das complexidades da realidade. Entender como se forma essa atitude é muito difícil, vai desde o jovem deslumbrado ou perplexo diante da grave crise do mundo moderno e que tende a mais conveniente leitura e solução até aquele rapaz estático e inerte que no ambiente virtual cria uma sucursal da Congregação para a Doutrina da Fé enquanto deixa de ir a Missa "nova" e de viver o dia-a-dia da fé.

A falta de noção do que ocorre no mundo real impossibilita qualquer leitura sensata e eficiente dos problemas e das soluções. Seria como pedir para Robinson Crusoé descrever a Londres do séc. XVIII. Ainda que a motivação seja verdadeira e louvável, a distância do real e das suas mais profundas variantes e interferências impede a equilibrada ponderação. Para alguém que vive num pequeno mundo - quase sempre virtual, em redes sociais e páginas na internet - o grande mundo será sempre indecifrável. Deste modo, incapacitado de fazer a correta leitura, torna-se incapaz de dar a mais confiável solução.

Soluções para a crise da Civilização Ocidental, para os problemas litúrgicos, para os erros doutrinais, para o liberalismo, para o laicismo, para o secularismo, para o neoateísmo, encontram-se aos milhares em muitos blogues espalhados pela internet. Quase sempre são soluções tão claras e rápidas que até mesmo um jovem conhecedor de teologia via web sites e um filósofo de Wikipédia encontram. Mas o maior perigo não se reduz nessa aparente soberba, mas sim no crescente ar autoritário e agressivo daqueles que a adotam. Afinal, se o remédio é tão óbvio, por que ninguém o prescreve?! Essa postura de convicção plena se forma, então, antecipadamente, na construção de uma certeza sobre bases de areia, sobre um conhecimento raso e uma leitura de mundo pueril. Ademais, para agravar o cenário, ainda existe a formação de um verdadeiro séquito e pupilos, outros jovens que, já numa linha de transmissão terceira, se educam nas "pérolas" lançadas pelos sábios!

Sem dúvida alguma estamos tratando de mais um dos frutos da nossa sociedade e da grave crise civilizacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...