Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2009

Direito Natural - artigo

Um interessante texto do Professor José Luiz Delgado (da UFPE):

"Curso de direito natural

O inesquecível professor Rodolfo Araújo reiteradas vezes me propôs a criação, dentro da Faculdade, de um Instituto de Direito Natural. Costumava eu retorquir-lhe, nessas ocasiões, que a Faculdade de Direito do Recife precisava de um Instituto de Direito Positivo, para estudar com mais aplicação as leis vigentes...

Andei há pouco, no entanto, de algum modo retornando essa idéia do querido professor Rodolfo, ao organizar um curso de direito natural que, já há quase três meses, estou ministrando na Faculdade. E agora, ao entrar na reta final desse curso, sinto-me pagando uma velha dívida. E também retomando uma constante da história da faculdade, a constante de um pensamento jusnaturalista que teve grandes dias não só nos primórdios de Pedro Autran ou nos tempos áureos de Soriano de Souza, contemporâneo e adversário de Tobias, mas também a partir da década de 30, em torno da figura do grande And…

12ª Jornada Teológica D. Hélder Câmara

No tempo de perigosa agitação e de irresponsável “desbunde” que vive a Arquidiocese de Olinda e Recife desde a nomeação do seu novo arcebispo, D. Fernando Saburino, resolvi participar (como não fazia há alguns anos – desde uma quase briga com Leonardo Boff) da Jornada Teológica do Grupo Igreja Nova. Fui, especialmente, para ver e sentir o que será a minha diocese nos próximos 13 anos... pois o nosso novo pastor, um dia após assumir o cargo, numa reunião com o clero (padres e diáconos permanentes), disse que a igreja local assumirá esse evento nos anos vindouros e que nós devemos fazer um esforço para acolher os membros do citado grupo, pois ele, D. Fernando, só sabe governar na unidade...

Antes de prosseguir, vale lembrar o que é o Grupo Igreja Nova: é um grupo de leigos de classe média alta, auxiliado por alguns padres, que durante o pontificado de D. José resolveu formar uma espécie de trincheira progressista dentro da diocese. Evidente que, como todos sabem, eu não considero todo p…

Audiência pública sobre o aborto

No dia 15 de junho, participei, na Câmara de Vereadores de Recife, de uma audiência pública (convocada pelo vereador Vicente André Gomes) sobe o aborto.

Assim que cheguei à Câmara, demorei um pouco para encontrar o plenário (os servidores municipais da saúde, em greve, estavam tumultuando um pouco o ambiente), mas logo que entrei tive a grata surpresa de identificar vários colegas pró-vida. Acho que se os padres tivessem divulgado o evento nas Missas do final de semana o número de pessoas seria maior, mas, de qualquer forma, os defensores da vida estavam bem representados e distribuíram um farto material contra o aborto.

Duas faixas se destacavam nas galerias, uma que dizia “O povo é contra o aborto” e outra que proclamava “Liberdade de escolha! É o meu direito nascer”.

Para a audiência vieram duas mulheres de peso no cenário nacional: a Dra.Maria Dolly Guimarães (advogada, presidente da Federação Paulista dos Movimentos em Defesa da Vida e membro da Associação Nacional Pró-Vida e Pró…

Idéias claras sobre o Magistério infalível do Papa: entre a desobediência e a servilidade

(Pio IX, o Papa que proclamou o dogma da infaliblidade pontifícia)
A questão da obediência envolvendo a Magistério pontifício é um dos maiores problema da crise pós-conciliar, pois nela junta-se o que chamo de "pensamento burocrático do século XIX", com a infantilidade contestadora dos progressistas e o criticismo de certos tradicionalistas.
Como dar um jeito nesse “balaio de gatos”? É o que vamos tentar esclarecer neste tópico (vou me basear, de início, em reflexões próprias e na adaptação de um artigo da edição março/abril de 2005 do jornal Sim Sim Não Não)
O problema
Para começar, cabe observar a distinção que faz o Dicionário de Teologia Católica, no verbete infalibilidade do Papa, classificando o ensino papal em:
1) Definição pontifical infalível ou ex cathedra no sentido definido pelo Vaticano I;
2) O ensinamento pontifical infalível que nasce do Magistério ordinário do Papa;
3) O ensinamento pontifical não infalível.
O Pe. Salverri, na sua Sacrae Theologiae Summa, tam…

Semper Infidelis - ordenação de mulheres

Tendo em vista o que foi explicado aqui, não dá para tolerar certas iniciativas pastorais, que minam a doutrina da Igreja.

Um exemplo gritate é o do CAJU (Casa da Juventude), uma instituição ligada aos jesuítas, de Goiana, onde o diretor (Pe.Geraldo Labarrere SJ) promove Missas nas quais o papel ocupado pelas mulheres, no mínimo, coloca dúvidas nas cabeças dos fiéis:





E ninguém venha dizer que ele é um exótico, pois o bispo da diocese, D. Washington Cruz, já celebrou Missa no CAJU e não falou nada sobre a postura desse padre:

A revista Isto É e a ordenação de mulheres

A revista Isto É na sua edição de 9 de abril do corrente ano publicou uma reportagem sobre o tema da ordenação de mulheres no catolicismo, repetindo aqueles velhos lugares-comuns sobre o assunto.

Vamos analisá-la:

"Elas querem o sacerdócio

Católicas se organizam na luta pelo direito de celebrar missas, casamentos e batizados, atividades restritas aos homens da Igreja

Carina Rabelo

O direito de as mulheres exercerem o sacerdócio é um dos maiores e mais antigos tabus do catolicismo. Alheia ao movimento feminista, que já completa mais de quatro décadas, e a todas as conquistas decorrentes dele, a Igreja de Roma é intransigente em relação a qualquer mudança em suas leis que amplie o poder feminino na hierarquia cristã. Cada vez mais incomodadas com a situação, as próprias católicas resolveram se rebelar."


Mistificação típica de quem não entende nada sobre a Igreja e ainda repete o besteirol marxista aprendido no sistema educacional brasileiro.

O assunto não é tabu na Igreja. Por …

Ordenação de mulheres

(diaconisas da Igreja primitiva)
O que dizer da ordenação de mulheres que tantos grupos de pressão, internos e externos, advogam? Qual a doutrina da Igreja sobre o tema? Podemos justificar teologicamente a ordenação só de homens? Este e outros aspectos da questão serão debatidos neste post.
A primeira coisa que devemos entender sobre esse assunto é que o fato da Igreja só ordenar homens não deriva de preconceito ou condicionamento social, mas do cumprimento daquilo que o Senhor nos legou. Vamos ver alguns princípios sobre isso:

DEUS DECIDE O TIPO DE CULTO E MINISTRO

De acordo com a Lei Natural, o homem deve reconhecer sua dependência em relação a Deus, mediante o culto supremo de latria (adoração). Esse culto, tanto público quanto privado, foi oferecido a Deus desde o início da humanidade.

Como regra geral, nos tempos primitivos os chefes de família, os anciãos ou os líderes das comunidades eram destacados para oferecer o culto público. Com o crescimento da humanidade, foi estabelecid…