Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2009

Idéias claras sobre o Magistério infalível do Papa: entre a desobediência e a servilidade

(Pio IX, o Papa que proclamou o dogma da infaliblidade pontifícia)
A questão da obediência envolvendo a Magistério pontifício é um dos maiores problema da crise pós-conciliar, pois nela junta-se o que chamo de "pensamento burocrático do século XIX", com a infantilidade contestadora dos progressistas e o criticismo de certos tradicionalistas.
Como dar um jeito nesse “balaio de gatos”? É o que vamos tentar esclarecer neste tópico (vou me basear, de início, em reflexões próprias e na adaptação de um artigo da edição março/abril de 2005 do jornal Sim Sim Não Não)
O problema
Para começar, cabe observar a distinção que faz o Dicionário de Teologia Católica, no verbete infalibilidade do Papa, classificando o ensino papal em:
1) Definição pontifical infalível ou ex cathedra no sentido definido pelo Vaticano I;
2) O ensinamento pontifical infalível que nasce do Magistério ordinário do Papa;
3) O ensinamento pontifical não infalível.
O Pe. Salverri, na sua Sacrae Theologiae Summa, tam…

Semper Infidelis - ordenação de mulheres

Tendo em vista o que foi explicado aqui, não dá para tolerar certas iniciativas pastorais, que minam a doutrina da Igreja.

Um exemplo gritate é o do CAJU (Casa da Juventude), uma instituição ligada aos jesuítas, de Goiana, onde o diretor (Pe.Geraldo Labarrere SJ) promove Missas nas quais o papel ocupado pelas mulheres, no mínimo, coloca dúvidas nas cabeças dos fiéis:





E ninguém venha dizer que ele é um exótico, pois o bispo da diocese, D. Washington Cruz, já celebrou Missa no CAJU e não falou nada sobre a postura desse padre:

A revista Isto É e a ordenação de mulheres

A revista Isto É na sua edição de 9 de abril do corrente ano publicou uma reportagem sobre o tema da ordenação de mulheres no catolicismo, repetindo aqueles velhos lugares-comuns sobre o assunto.

Vamos analisá-la:

"Elas querem o sacerdócio

Católicas se organizam na luta pelo direito de celebrar missas, casamentos e batizados, atividades restritas aos homens da Igreja

Carina Rabelo

O direito de as mulheres exercerem o sacerdócio é um dos maiores e mais antigos tabus do catolicismo. Alheia ao movimento feminista, que já completa mais de quatro décadas, e a todas as conquistas decorrentes dele, a Igreja de Roma é intransigente em relação a qualquer mudança em suas leis que amplie o poder feminino na hierarquia cristã. Cada vez mais incomodadas com a situação, as próprias católicas resolveram se rebelar."


Mistificação típica de quem não entende nada sobre a Igreja e ainda repete o besteirol marxista aprendido no sistema educacional brasileiro.

O assunto não é tabu na Igreja. Por …