Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

O Estado subsidiário: nem liberalismo nem socialismo

O princípio da subsidiariedade é uma das pedras angulares da Doutrina Social da Igreja; tendo em vista esse fato, creio que o seguinte texto, de autoria de Bruno Guillard (traduzido por Rodrigo Nunes), é uma leitura interessante:

Na sua obra maior, intitulada L’Etat subsidiaire (PUF, 1992), Chantal Delsol escreve:

"A História política, económica e social da Europa nestes dois últimos séculos encontra-se largamente dominada por uma questão maior: a do papel do Estado. Os países europeus oscilam do liberalismo ao socialismo, ou inversamente, em idas e vindas que traduzem a incapacidade, não de resolver mas de dominar esta questão primordial. A sedução exercida pelo marxismo e pelo socialismo estatista sobre as opiniões ocidentais até estes últimos anos explica-se em parte pela convicção, largamente partilhada, que não existiria alternativa ao liberalismo senão o estatismo. Os defensores da democracia pluralista inquietam-se por ver o desenvolvimento dos 'direitos-crédito' ge…

Revista Co-Redentora

É com imenso gosto que aqui divulgo a nova revista eletrônica Co-RedentoradoMosteiro de Santa Cruz (Nova Friburgo, Rio de Janeiro).

“Maria será terrível para o demônio e seus sequazes como um exército em linha de batalha, principalmente nestes últimos tempos, pois o demônio, sabendo bem que pouco tempo lhe resta para perder as almas, redobra cada dia seus esforços e seus ataques. Suscitará, em breve, perseguições cruéis e terríveis emboscadas aos servidores fiéis e aos verdadeiros filhos de Maria, que mais trabalho terão para vencer.”
Perseguições cruéis, as vimos na França, na Espanha, na Rússia, na China, no Vietnã e em tantos outros países. Terríveis emboscadas, as vimos no Concílio Vaticano II — e continuamos a ver todos os dias. No entanto, os filhos de Maria triunfarão sempre sobre umas e outras.
“É principalmente a estas últimas e cruéis perseguições do demônio, que se multiplicarão todos os dias até o reino do Anticristo, que se refere aquela primeira e célebre predição e mal…

Simplesmente católico

Um vídeo inspirado no livro The Difference God Makes, do Cardeal Francis George (arcebispo de Chicago), que chama todos os católicos, sejam de que tendência forem, a abraçar as verdades salvadoras contidas no Depósito da Fé. Evidente que considero o slogan "sou apenas católico" algo sociologicamente impossível (em geral se é católico-progressista, católico-carismático, católico-neoconservador ou católico-tradicionalista), mas devemos ter o cuidado para que diferenças sociológicas não virem teológicas ou, aí sim, não seremos mais católicos. Voltar-se sempre à simplicidade do essencial é um exercício necessário ao equilíbrio eclesiológico.

Política da CNBB: fazer de tudo para atrapalhar a comunhão na boca e de joelhos.

O diácono grego na Missa papal

Vou postar uma tradução minha de um artigo escrito no blog Annales Ecclesiae Ucrainae pelo padre de rito bizantino Dr. Athanasuius D. McVay.

O texto (que na minha opinião não está bem escrito, mas tem informações preciosas) analisa o papel do diácono de rito oriental na liturgia papal, tanto no rito gregoriano (forma extraordinária do rito romano), quanto no rito paulino (forma ordinária do rito romano).

Antes de prosseguir, três observações: no primeiro parágrafo, quando o autor se refere a um “rito particular da Missa”, sem dúvida alguma, só está aludindo a particularidades cerimoniais, não está defendendo a existência de um rito no sentido estrito; o autor mudou algumas coisas do texto ao longo do tempo e, por isso, mais de uma versão pode ser encontrada na internet (vou me guiar pela mais antiga, com acréscimos da nova – em anexo coloco as duas); adaptei algumas coisas ao ritmo de nosso idioma e reduzi o sétimo parágrafo.
(Sínodo da Europa - diácono grego proclama o Evangelho em es…

Pai Nosso de Boff

Revirando meus papéis, encontrei uma antigo marcador de livro da Vozes que traz a seguinte "versão" do Pai Nosso escrita por Leonardo Boff (mais um exemplo do que ocorre quando se coloca a ideologia na frente da Revelação):

A ORAÇÃO DA LIBERTAÇÃO INTEGRAL O PAI NOSSO
Pai, não sois primeiro nosso Juiz e Senhor, mas Nosso Pai, porque ouvis o clamor de vossos filhos oprimidos. Que estais no céu para onde se dirige nosso olhar na luta. Santificado seja vosso agir libertador contra os que oprimem em vosso Nome. Venha a nós a vossa justiça a começar pelos embobrecidos. Seja feita a vossa libertação que principia na terra e termina no céu. O pão de cada dia que juntos produzimos, dai-nos juntos comê-lo. Perdoai-nos o nosso egoísmo na medida em que combatemos o egoísmo coletivo. E não nos deixeis cair na tentação de explorar e de acumular. Mas livrai-nos  da vingança e do ódio contra o mau que oprime e reprime. Amém.