Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

A reencarnação é racional?

Texto do confrade Karlos Guedes:
Um princípio basilar do espiritismo é o da reencarnação. Aqui não falo especificamente do kardecismo, mas de todas as doutrinas espíritas.
Antes de tudo, darei a definição de reencarnação. Reencarnação é a crença de que, após a morte, a alma de um ser humano retorna à vida com outro corpo. Há também a metempsicose, variação desta doutrina, que é o renascimento ou retorno sob a forma de outras espécies. Considerando o absurdo ululante da segunda crença, analisaremos somente a primeira. Fá-lo-ei pela razão, não usarei nenhuma citação do Magistério infalível da Igreja ou das fontes da Revelação.
------------
Supondo que o espiritismo esteja correto, a união do espírito com o corpo (a vida neste século) não pode ser uma união substancial. Nesta suposição, a substância humana seria apenas o seu espírito, excluindo o corpo como componente, pois o espírito possuirá muitos outros, impedindo, com isso, que ele seja parte da substância humana.
Quais as …

Deus é definido na adoração

Deus é definido no ato de adoração muito mais precisamente do que é definido por qualquer teologia. - Roger Scruton

Como fogo em um fuzil...

Para o que prega a divina palavra, o amor é como o fogo em um fuzil. Se um homem atirar uma bala com a mão, pouco estrago faz, mas, se essa mesma bala for arremessada com o fogo da pólvora, mata. Assim é a palavra de Deus. Se for dita naturalmente, sem espírito sobrenatural, pouco bem faz, mas se for dita por um sacerdote cheio do fogo da caridade, do amor a Deus e ao próximo, extirpará vícios, destruirá pecados, operará prodígios. Vemos isto em São Pedro, ao sair do Cenáculo, ardendo no fogo do amor, que havia recebido do Espírito Santo, e o resultado foi a conversão de oito mil pessoas em dois sermões: três mil no primeiro e cinco mil no segundo.
- Santo Antônio Maria Claret, Autobiografia

O Papa celebrou uma Missa versus Deum

O Papa Francisco celebrou uma Missa versus Deum diante do altar em que está o túmulo de João Paulo II, confiram as fotos (postadas na internet pelo Mons. Guido Marini):
















Uma seqüência mais lógica das fotos pode ser vista aqui.

Ilações sobre a morte

Texto do confrade Karlos Guedes:


A morte é, de certa, forma, uma criação do homem. Aquela decisão tremenda tomada por Adão, ao ser apresentado a ele, por Eva, o fruto da árvore foi, de fato, o maior dos atos humanos.

Imagino o silêncio e a expectativa de toda a criação naquele momento! Os anjos de um lado; os demônios do outro... cada um esperando a decisão humana mais importante...

Enfim, tomou Adão sua decisão: quis ser igual a Deus! E caiu do alto grau de dignidade que tinha. Imagino que a retirada da graça foi o que eles mais sentiram, pois se sentiram nus (cf. Gn III,10). Contudo, para nós, que já somos concebido no pecado (cf. Sl L,7), creio não ser a falta da graça o mais ululante dos castigos, mas a morte.

A morte chama-nos à reflexão, tanto religiosa como filosoficamente.

Filosoficamente, a morte nos traz a pequenez do homem. Por mais inteligente e estupenda tenha sido a sua vida. Por mais que tenha construído arranha-céus, espaçonaves, automóveis, computadores ou curado …

Eu digo sim à vida


Um sermão de Vieira

Texto do Prof. Ângelo Monteiro publicado no Jornal do Commercio (Recife, 29 de agosto der 2013) que, além da crítica cultural mais ampla, traz à tona um problema real que todo catequista enfrenta no nosso país, a saber, o da falta de consolidação dos princípios doutrinários na mente dos alunos, e que, incrivelmente, o Pe. Antônio Vieira já notava no início de nossa história:
Não se pode nunca saber, depois de mais de trezentos anos, se o Sermão do Espírito Santo, proferido pelo Padre Antônio Vieira, em São Luís do Maranhão, se resume à constatação de uma época ou vem a ser, muito antes, a confirmação de uma realidade: a de um país condenado, por fatalidade, a repetir o tempo todo a receita do mesmo. Vieira começa pela nomeação de São Tomé, dada a sua proverbial incredulidade, a pregador do Brasil mostrando, curiosamente, que suas pegadas ficaram na memória das pedras e não na dos homens. Eis como se pronuncia, a esse respeito, o genial jesuíta: "Não se podia melhor pr…

Uma comparação

Lá só estudam Wittgenstein

Diálogo que ouvi esperando o elevador numa universidade:
Aqui não tem linha de pesquisa na obra de Tomás de Aquino.
Tem não. Infelizmente.
Mas na Católica deve ter.
Tem nada.
Como não? E os padres?
Fui num seminário e eles só estudam Wittgenstein, Hegel...
Por que será mesmo que a doutrina da Igreja se tornou um tesouro fechado até mesmo para o clero?

Meu professor é Papa

Depois da Jornada Mundial da Juventude, muitas pessoas ficaram com vontade de saber um pouco mais sobre quem é e sobre o que pensa o Papa Francisco e acho que uma pequena entrevista publicada na revista Veja de 3 de abril de 2013 pode ser esclarecedora: O padre da Igreja de Santa Cecília, no Rio de Janeiro, fala sobre o período em que foi aluno do Papa Francisco na faculdade de teologia de Buenos Aires.
Como o senhor conheceu o Papa?
Em  1985, estudei na Faculdade de São Miguel, em Buenos Aires. O Papa ainda era padre e, entre 1987 e 1988, foi meu professor em duas disciplinas: teologia pastoral e doutrina social da Igreja.
Como ele era professor?
Firme, cobrava bastante dos alunos. Mas o seu jeito simples já era claro naquele tempo. Muito sábio, mas humilde e amigo de todos. E ele tinha muito senso de humor. Reunia-se com os alunos depois das aulas e contava piadas, falava do San Lorenzo, o time de futebol dele. Lembro-me também de que ele nos mandava ler dois textos do Co…

O mais importante: Jesus Cristo

Acompanhei hoje a tarde a chegada e recepção do Papa pelo site do Estadão e tive a grata surpresa de ouvir está frase no Pontífice Universal na sua fala logo após o discurso da presidente:
"Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais valioso me foi dado: Jesus Cristo."
Ele não podia ter sido mais feliz. Num momento conturbado para o governo, em que todos esperavam indiretas políticas, o Papa "apenas" traz a Fé. E esta, como sabemos, remove montanhas!

O direitista

"The true rightist is not a man who wants to go back to this or that institution for the sake of a return; he wants first to find out what is eternally true, eternally valid, and then either to restore or reinstall it, regardless of whether it seems obsolete, whether it is ancient, contemporary, or even without precedent, brand new, 'ultramodern'.

Old truths can be rediscovered, entirely new ones found. The Man of the Right does not have a time-bound, but a sovereign mind. In case he is a Christian he is, in the words of the Apostle Peter, the steward of a Basíleion Hierateuma, a Royal Priesthood. The right stands for liberty, a free, unprejudiced form of thinking, a readiness to preserve traditional values (provided they are true values), a balanced view of the nature of man, seeing in him neither beast nor angel, insisting also on the uniqueness of human beings who cannot be transformed into or treated as mere numbers or ciphers."

- Erik von Kuehnelt-Leddihn

Apontamentos sobre o 1º artigo do Credo - A criação do homem

Apontamentos sobre a criação do homem do confrade Humberto Carneiro que ministra aulas de catequese comigo:
1. Distinções prévias
Deus - espírito perfeitíssimo incriado e sem corpo.
Anjos - puros espíritos (não possuem alma) criados e sem corpo.
Homem - espírito que necessita de corpo. Alma espiritual e racional.
Animais - seres dotados de alma (princípio vital), mas sem espírito. Alma sensitiva.
Vegetais - seres dotados de alma vegetativa.
2. Da criação do homem
Deus fez o mundo do nada. Depois fez a substância espiritual (anjos) e a substância material (corporal) e, por último, a substância humana, composta das outras duas. - Concílio de Latrão.
Homem - ser dotado de corpo e alma (espiritual), criado por Deus à sua imagem e semelhança.
Corpo e alma - feitos um para o outro. A alma pede o corpo. A dor do corpo é sentida na alma. A dor da alma é sentida no corpo.
Relato bíblico: Gênesis I, 26ss
                       Gênesis II, 4-25
O corpo do homem reflete o poder e a sabedoria di…

O inferior não pode obrigar o superior

A essência prática do Cristianismo está no conceito de que o indivíduo humano — alma imortal criada por Deus e remível por seu Filho da condição pecaminosa em que a queda a lançara — tem em si mesma, como tal, um valor superior maior que o de todos os poderes e pompas da terra, porque é um valor de outra ordem. Deste conceito se deriva estoutro - que o indivíduo moral é distinto do indivíduo político, e a ele superior. Deus está acima do Imperador, e a salvação da alma acima do serviço do Império. E as consequências últimas do conceito primário são estas: o critério moral é absoluto, o critério político ou cívico é relativo. O Estado está acima do cidadão, mas o Homem está acima do Estado. Nenhum Estado, nenhum Imperador, nenhuma lei humana podem obrigar o indivíduo a proceder contra a sua consciência, isto é, contra a salvação da sua alma. O inferior não pode obrigar o superior.

- Fernando Pessoa

Não confunda uma pessoa com o mal que há nela

In the words of St. John Kronstadt, “Never confuse the person, formed in the image of God, with the evil that is in him; because evil is but a chance misfortune, an illness, a devilish reverie. But the very essence of the person is the image of God and this remains in him despite every disfigurement.”
- Donald E. Cole

O pêndulo virou

Certamente os apoiadores do aborto nos EUA, quando a Suprema Corte desse país deu uma decisão que liberou tal prática de forma irrestrita nos anos 70, não achavam que o pêndulo poderia voltar atrás. Para eles, a cultura contemporânea, com todo seu hedonismo, serviria de barreira a tudo aquilo que consideravam uma limitação da liberdade individual. Infelizmente para eles e felizmente para o gênero humano, a história se desenvolveu de outra maneira.
De fato, a persistência do movimento em favor da vida acabou conquistando "corações e mentes", e gerou o quadro que acabei de ler na Veja desta semana:
Ideia ganha vida nova
Apoio a aborto diminui entre americanos e lei restritiva no Texas reflete isso
Mudar de ideia - e de leis que não sejam as garantias civis imexíveis - é inerente às democracia, mesmo quando as mudanças parecem superficialmente conflitantes. Nos Estados Unidos, isso está acontecendo em relação a duas questões importantes: a do casamento civil de homossexuais e a …

Think twice

BBB, o esterco e o vômito de Satanás

Dia desses estava sem o que fazer a noite e fui a uma loja de conveniência tomar um café e "ver gente", mais tarde, ao passar pelo banheiro da tal  loja, me deparei com um antigo participante do BBB numa situação bem distante daquilo que se poderia chamar de referência para a vida de qualquer pessoa e pensei no que tinha lido neste texto de D. Henrique Soares (publicado num informativo da Arca de Maria):

A situação é extremamente preocupante: no Brasil, há uma televisão de altíssimo nível técnico e baixíssimo nível de programação. Sem nenhum controle ético por parte da sociedade, os chamados canais abertos (aqueles que se podem assistir gratuitamente) fazem a cabeça dos brasileiros e, com precisão satânica, vão destruindo tudo que encontram pela frente: a sacralidade da família, a fidelidade conjugal, o respeito e veneração dos filhos para com os pais, o sentido de tradição (isto é, saber valorizar e acolher os valores e as experiências das gerações passadas), as virtudes, a…

Processo sem controle

Artigo do ex-governador de Pernambuco Roberto Magalhães (Jornal do Commercio, Recife 20 de junho de 2013) que trata da questão do descalabro em que se transformou a demarcação de terras indígenas e dos perigos que isso pode trazer para a unidade da pátria:

A demarcação de terras indígenas no país vem sendo discutida a longo tempo sem os critérios de responsabilidade e brasilidade que merecia e merece, pela sua extrema relevância. Bastaria lembrar que, pelos dados atuais do IBGE, a partir do Censo 2010, o Brasil tem atualmente 896.917 índios ocupando aproximadamente 14% do território brasileiro, e desse total 517.383 (57,7%) ocupam terras indígenas.
Considerando os critérios adotados pelos peritos e agentes da Funai, pode-se calcular em 2,3km² de território para cada um desses índios assentados e vivendo em terras indígenas. Não é difícil dividir-se os 14% do território nacional pelo número de silvícolas assentados. A situação agravou-se muito depois da promulgação da Constituição de…

Neo racismo oficial

Artigo do economista e consultor Sérgio C. Buarque publicado no Jornal do Commercio (Recife, 20 de junho de 2013) e que subscrevo totalmente:

O racismo e as teorias raciais inventadas no século XIX alimentaram o discurso da superioridade e a discriminação de povos e grupos sociais, e difundiram a ideia de uma raça pura com rejeição à miscigenação que, segundo Joseph Arthur de Gobineau, levaria à degenerescência física e intelectual. Este racismo está na origem brasileira com o escravismo racial e a divisão social que seguiu à abolição. Mas, muito diferente do que ocorreu nos EUA, ao longo dos séculos, foi se formando no Brasil uma nação singular da mescla de culturas, origens e cores gerando uma síntese que, sem eliminar a diversidade, enriquece o conjunto. Mesmo convivendo com formas sutis de discriminação - longe de uma sonhada "democracia racial" - o Brasil não é um país dividido em múltiplas raças ou cores, não é um mosaico racial como os EUA e alguns países europeus. C…

Guia de leitura para Shakespeare

Mostra que é corajoso "nobre deputado"!

Não somos, apenas estamos

Trechos de uma entrevista com Antônio Geraldo Figueiredo Ferreira, escritor mineiro, sobre seu badalado livro As visitas que hoje estamos (Jornal do Commercio, 2 de maio de 2013), que me fizeram pensar sobre a brevidade da vida:
A ideia do livro surgiu há quase 12 anos, num almoço com minha cunhada. Ela reclamava dos filhos, que andavam tomando conta da casa. Brinquei e lhe disse que a velhice era aquilo mesmo. Uma gradativa e constante perda do espaço vital. E que, no fim da vida, uma velha fica apenas com a gaveta da cômoda, no quarto de dormir. Ela ficou assustada com tristeza da história.
(...)
Creio que a força do título resida na condição simples que você bem apontou. Alguns amigos quiseram procurar nele um sentido oculto, o que é desnecessário. A visita está permanentemente numa situação provisória, desconfortável, cuja precariedade se extingue com a volta para o lar, mesmo que amargo. Simples assim. O sonho secreto de todo homem é voltar para casa, mesmo estando sentado a vida…

Cavaleiro da morte reabilitado!?!

Estava dando uma olhada em umas notícias de semanas atrás que não tinha lido e me deparei com uma que dizia que o Senado resolveu devolver simbolicamente, como uma forma de reabilitação, o mandato de Luís Carlos Prestes cassado em 1948. Que tipo de absurdo é esse? Então um psicopata que "banditizou" o interior do país com a sua "coluna", depois tentou vender a soberania nacional para uma potência estrangeira e de modo contínuo procurou solapar a ordem civil para implantar uma ditadura marxista no país é agora visto como virtuoso (e os herdeiros terão direito às regalias do plano de saúde dos parlamentares)? Tudo isso é um preocupante sinal dos tempos!

Perfil de Kierkegaard

Artigo do Professor Inácio Strider sobre Kierkegaard (Jornal do Commercio, Recife 22 de maio de 2013 - com modificações ortográficas):
Kierkegaard: 200 anos
Segundo as más línguas, Sören Kierkegaard (1813-1855) era mais conhecido em Copenhague pelas roupas exóticas que por sua filosofia. Até as babás, quando queriam repreender uma criança por não se vestir bem, diziam que ele era um "Sören Kierkegaard".
Kierkegaard nasceu em 5 de maio de 1813, ano da bancarrota da Dinamarca. Mesmo com dificuldades, Kierkegaard teve infância e juventude abastadas. Seu pai era um comerciante bem sucedido em Copenhague. A educação que recebeu, juntamente com a de seis irmãos, foi rigorosamente pietista, de acordo com uma tradição da igreja luterana.
Sendo o mais novo, teve aproximação especial com seu pai, que o induziu a se matricular no curso superior de teologia. Inicialmente Kierkegaard demonstrou interesse. Mas, em breve, relaxou, e era mais visto nos cafés do que na universidade. Esta vi…

Tempos modernos...

Pichação num banheiro de faculdade de comunicação.

Manual do Breviário de São Pio X

No “mundo tradicionalista católico” há uma controvérsia sobre quais rubricas do rito gregoriano usar, e isso também se reflete no Ofício Divino. Nesse âmbito, há um pequeno grupo, formado primordialmente por sedevacantistas, que prefere as de São Pio X (o Breviário segundo esse sistema pode ser encontrado aqui), e, para ajudar quem optou por rezar desse modo, vou postar um manual (em inglês) sobre o uso do Ofício com essas regras:
Manual do Breviário de São Pio X

Publix pró-vida

Comercial da loja americana Publix para o dia das mães que acabou tendo um inesperado viés pró-vida:

Maria "Medianeira" conforme o Vaticano II

Entre os títulos atribuídos a Maria no culto da Igreja, o capítulo VIII da Lumen Gentium recorda o de "Medianeira". Embora alguns Padres conciliares não compartilhassem plenamente essa escolha (cf. Acta Synodalia III, 8, 163-164), este apelativo foi inserido de igual modo na Constituição Dogmática sobre a Igreja, como confirmação do valor da verdade que ela exprime. Teve-se, porém, o cuidado de não o ligar a nenhuma particular teologia da mediação, mas de o elencar apenas entre os outros títulos reconhecidos a Maria. O texto conciliar, além disso, refere-se já ao conteúdo do título de "Medianeira" quando afirma que Maria, "com a Sua multiforme intercessão, continua a alcançar-nos os dons da salvação eterna" (LG, 62). Como se recorda na Encíclica Redemptoris Mater, "a mediação de Maria está intimamente ligada à Sua maternidade e possui um carácter especificamente maternal, que a distingue da mediação das outras criaturas". Deste ponto de vista, …

Muita máquina e pouca água

Li hoje este absurdo na coluna de Fernando Castilho (Jornal do Commercio, Recife):
Os números dos gastos do governo federal com "a maior seca em 50 anos no Nordeste, até agora, dão uma dimensão do que ela representa para o país. Até o momento, tudo o que se gastou aqui somou R$ 7,6 bilhões. Isso mesmo: a seca grassa em exatos 1.145 municípios nordestinos e tudo que a União gastou até agora é metade do que o BNDES emprestou ao empresário Eike Batista.
Por isso, o anúncio de que o governo federal gastará mais R$ 9 bilhões é auspicioso, mas só dá a dimensão do que a região representa. A nossa seca sequer interfere no total da safra de grãos colhida este ano. E o desembolso financeiro (renegociação da dívida) soma um terço do que o BNDES emprestará à FIAT.
Entretanto, uma coisa chama a atenção no pacote anunciado ontem pelo Ministro Fernando Bezerra Colelho: o gasto de R$ 2,3 bilhões com a compra de veículos para 49 unidades do Exército, junto a um pacote de 7.075 retroescavadeiras, …

Jesuíta?

Desde que o Papa Francisco foi eleito muitos jornalistas tem se perguntado sobre o significado dele ser um jesuíta, pensando que isso remete ao instituto fundado por Santo Inácio... pobrezinhos, não sabem que a situação atual é essa:


Resenha - De Trinitade, de Santo Agostinho

Resenha feita pela consócia Janete de Cássia na comunidade Apologética Católica:

A obra De Trinitate deste grande santo doutor da Igreja, aborda uma questão central da fé cristã: a crença que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são um único Deus. É importante ter em mente que o objetivo de Agostinho é combater as heresias de seu tempo, sendo que as principais eram o Arianismo e o Sabelianismo (ou Modalismo). 
Como "bons hereges", Ario e Sabélio eram muito instruídos nas Sagradas Escrituras; suas heresias eram bem embasadas em passagens dos Evangelhos. Por que este fato é importante? Porque Agostinho irá estruturar sua obra de modo a quebrar esquematicamente essas teorias. Vale lembrar também que essas heresias eram realidades muito presentes entre os primeiros cristãos, sendo um grande desafio afirmar que Deus é Uno e Trino. Superadas as perseguições, são os problemas de ordem interna, de doutrina, que começam a preocupar os cristãos. 
A obra De Trinitate é composta de quinze …

Primeira homilia do Papa Francisco

Entre outras coisas ele disse:
"Podemos caminhar tudo o que quisermos, podemos construir muitas coisas, mas se não anunciarmos Jesus Cristo, algo está errado. Nós nos tornaríamos uma ONG piedosa e não uma Igreja que é a noiva de Cristo."
"Aquele que não reza ao Senhor reza ao diabo. Quando não anunciamos Jesus Cristo, anunciamos o mundanismo do diabo, o mundanismo do demônio."
"Temos de andar sempre na presença do Senhor, na luz do Senhor, sempre tentando viver de forma irrepreensível."
"Quando andamos sem a cruz, quando nós construímos sem a cruz e quando nós proclamamos Cristo sem a cruz, não somos discípulos do Senhor. Somos mundanos."
"Nós podemos ser bispos, padres, cardeais, papas, tudo isso, mas não somos discípulos do Senhor".
Também colocou que aqueles que constroem sobre os valores mundanos em vez dos valores espirituais eram como crianças construindo castelos de areia em uma praia. "Então, tudo desmorona."

Dez Motivos para os católicos agradecerem ao Papa Bento XVI

Reproduzo aqui uma tradução feita pelo confrade Adilson Boson Jr. na comunidade Apologética Católica de um texto publicado no blog do jornalista britânico Damian Thompson que, por sua vez, era a reprodução de outro de Luke Coppen:
O "Catholic Herald" - o único jornal católico britânico que realmente entendeu a missão de Bento XVI - publicou 10 razões pelas quais os católicos deveriam agradecer ao ministério do Papa. Com a permissão do editor, Luke Coppen, reproduzo-as aqui. Não espero que não-católicos, e que nem mesmo todos os católicos, concordem com o veredito do jornal; espero, porém, que ele ajude alguns leitores a entender porque Bento inspirou amor e lealdade tão intensos em uma época na qual comentaristas liberais estavam determinados a representá-lo de forma distorcida.
Damian Thompson --------------
O pontificado de Bento XVI foi cheio de surpresas, e na segunda ele estourou a maior de todas. Sua abdicação - a primeira em quase 600 anos - pegou mesmo o Va…

Esquerdopatas não são coitadinhos

As manifestações contra a blogueira e dissidente cubana Yoani Sánchez vistas aqui em Recife e na Bahia (confirmando, aliás, as denúncias feitas pela revista Veja no fim de semana) mostram claramente que os animais da esquerda continuam despreparados para vida civilizada, de modo que não deviam reagir como coitadinhos quando encontram pessoas que resolvem combatê-los usando a mesma linguagem (simbólica e concreta)... 

A Igreja Católica e a escravidão

Texto do Professor Dr. Ricardo da Costa (UFES - via SPES):
Vivemos em uma época conturbada. Qualquer coisa afirmada levianamente ganha auréola de verdade. Por exemplo, recentemente, o deputado Jean Willis (PSOL-RJ) disse que sessenta por cento dos congressistas brasileiros utilizavam serviços de prostitutas e que, por isso, eles gostariam de gozar essa atividade em “locais mais seguros”. Conclusão: para o deputado, deveríamos regulamentar a vida das meninas. Rapidamente a notícia ganhou as manchetes dos jornais. Contudo, dias depois, Willis voltou atrás – em uma matéria infinitamente menor, claro: baseou sua afirmação em sua “percepção da sociedade brasileira”, e que, de fato, desconhecia casos de pagamento de prostitutas por colegas.
Bem, cito o deputado do PSOL porque o próprio se valeu de um trecho de uma mensagem do papa Bento XVI no XLVI Dia Mundial da Paz para mais uma de suas afirmações bombásticas. O papa defendera a “estrutura natural do matrimônio” – a união entre um homem…